Denúncia e Homenagens: Ato em Goiânia pela Palhaça Jujuba, a Venezuelana Julieta Hernández

Goiânia se une em um ato comovente nesta sexta-feira, 12/01/24, para denunciar o chocante assassinato de Julieta Hernández, conhecida como a palhaça Jujuba. Esta talentosa artista venezuelana, de 38 anos, percorria o Brasil em sua bicicleta, promovendo a arte circense. O evento, liderado por movimentos sociais, será uma combinação de pedalada e sarau em homenagem a Julieta, cruelmente assassinada enquanto descansava em um abrigo no Amazonas.

O governo da Venezuela está prestando auxílio à família enlutada e informou que o sepultamento de Julieta ocorrerá no mesmo dia, na cidade de Puerto Ordaz, onde reside sua mãe.

Intitulado “Pedalada em Homenagem à Palhaça Jujuba”, o ato terá início às 18 horas, na Praça Universitária, com os participantes seguindo em direção ao Centro, até o Beco da Codorna. A chegada está prevista para 20h30, quando será realizado um sarau em memória da artista. A organização encoraja a participação de pessoas, seja de bicicleta ou não, solicitando que tragam narizes de palhaço, flores e instrumentos musicais.

JUJUBA-PAZ-2

Julieta Hernández, uma migrante venezuelana, bonequeira, palhaça e viajante de bicicleta, foi vítima de um crime hediondo em Presidente Figueiredo, Amazonas. Os suspeitos, Thiago Agles da Silva e Deliomara dos Anjos Santos, confessaram o crime e estão presos preventivamente, enfrentando acusações de latrocínio, estupro e ocultação de cadáver.

O terrível acontecimento ocorreu enquanto Julieta retornava à sua terra natal, descansando em um ponto de apoio para viajantes às margens da Rodovia BR-174. Sua próxima parada seria em Rorainópolis (RR), mas a artista desapareceu, sendo dada como tal até 5 de janeiro, quando a mobilização nas redes sociais revelou o crime. Seu corpo foi encontrado em uma cova rasa, com sinais de violência, e pedaços de sua bicicleta nas proximidades.

Julieta, que chegou ao Brasil em julho de 2016, deixou uma marca significativa durante os últimos quatro anos, documentando suas viagens no Instagram, onde acumulou mais de 10 mil seguidores. Seu lema, “Minha casa é o movimento”, ecoa na tristeza de sua perda.

Impacto e solidariedade em comunidades de imigrantes em São Paulo

O brutal assassinato de Julieta Hernández também ressoa profundamente entre as comunidades de imigrantes em São Paulo, especialmente entre as famílias bolivianas. Expressando repúdio e apoio à busca por justiça diante desse crime hediondo, as redes sociais se tornam palco de discussões sobre a necessidade de penas mais rigorosas para crimes contra mulheres e crianças.

trompetita-1

O palhaço Trompetita, de nacionalidade boliviana, compartilha sua tristeza, enfatizando que a perda de uma artista como Jujuba, que espalhava alegria por onde passava, é uma tragédia de grande magnitude para o planeta Terra. Henrry Limachi, o artista boliviano por trás do palhaço Trompetita, anuncia que dedicará este ano à colega de profissão, carregando consigo um pequeno laço preto em memória de Julieta Hernández, a palhacinha Jujuba.

CMI-JUJUBA

Protesto em São Paulo – Praça do Ciclista 12/01/24 às 19:00hs.

79a5a8bf-099e-4753-933a-2a87ec15a5f4

Fotos: Divulgação
Artes – Bolívia Cultural

VEJA TAMÉM
AMIGA

GUIA

Compartilhe esta postagem:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
WhatsApp
Email
Print