Imigrantes e Ativistas se Reúnem para Discutir Trabalho Escravo no Brasil

Publicado em 29/01/24 às 20:44h.

No Dia Nacional do Combate ao Trabalho Escravo, uma diversidade de imigrantes, representando várias nacionalidades, convergiu para a projeção do documentário ‘Servidão’.

O evento, ocorrido no Espaço Itaú Frei Caneca (Shopping Frei Caneca) durante a tarde de domingo (28/01/24), não apenas proporcionou a exibição do documentário, mas também desencadeou um diálogo crucial sobre uma das questões mais urgentes do país.

09

Após a projeção, os participantes tiveram a oportunidade de interagir em um bate-papo enriquecedor com o diretor Renato Barbieri. Imigrantes e ativistas sociais engajaram-se em um diálogo franco, compartilhando perguntas e propostas para lidar com a problemática do trabalho escravo no Brasil. Esse contato direto evidenciou a dimensão contemporânea da situação, especialmente em São Paulo, onde os imigrantes se tornam vítimas destacadas desse fenômeno.

O diretor do documentário, Renato Barbieri, ressaltou a necessidade premente de mais obras cinematográficas para abordar a extensa gama de formas contemporâneas de trabalho escravo no Brasil. O documentário em destaque focalizou o trabalho escravo na Amazônia brasileira, dando voz aos trabalhadores rurais subjugados em frentes de desmatamento e aos abolicionistas de diversas vertentes.

Embora as condições de trabalho análogas à escravidão sejam tipificadas como crime pelo Código Penal Brasileiro, o regime da servidão persiste há séculos, sendo uma chaga que assola o país desde sua colonização. Com a narração de Negra Li, ‘Servidão’ apresenta um registro contundente sobre uma das maiores mazelas nacionais.

13

A iniciativa da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, em parceria com a Coordenação de Políticas para Imigrantes e Promoção do Trabalho Decente e a Comissão Municipal para Erradicação do Trabalho Escravo (COMTRAE/SP), destaca-se como um esforço significativo para enfrentar esse problema de forma coordenada e cooperativa, envolvendo diversos parceiros na luta.

1911

A presença marcante dos membros do Conselho Municipal de Imigrantes (CMI) durante a exibição do documentário e no subsequente diálogo pós-exibição evidencia o compromisso e o engajamento da sociedade civil na causa.

Os dados alarmantes do Ministério do Trabalho e Emprego revelam um aumento de 216% no número de trabalhadores resgatados em 2023, totalizando 3.575 pessoas resgatadas. Setores como confecção têxtil, construção civil e comércio despontam como os mais afetados em São Paulo. Além disso, o trabalho escravo doméstico, que impacta principalmente as mulheres, tem recebido crescente atenção nos últimos anos.

17

O combate ao Trabalho Escravo Contemporâneo exige uma ação contínua e comprometida das autoridades públicas, bem como o envolvimento ativo de trabalhadores, empregadores, sociedade civil e organismos internacionais. A Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo reafirma seu compromisso com a proteção dos direitos e da dignidade humana das vítimas desse crime.

Neste cenário, eventos como a projeção de ‘Servidão’ desempenham um papel fundamental ao conscientizar e mobilizar a sociedade para enfrentar essa realidade dolorosa que persiste em nosso país. A tarde de reflexão e diálogo proporcionada pela sessão gratuita do documentário representa um passo importante na direção de um Brasil mais justo e igualitário.

Fotos do evento:

logo-flickr


logo-facebook

VEJA TAMÉM
AMIGA

GUIA

Compartilhe esta postagem:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
WhatsApp
Email
Print