Uma história de ativismo cultural, desde Cochabamba para São Paulo

A boliviana Sabina Veizaga (48), mãe de três filhos, trouxe as suas tradições desde Cochabamba para São Paulo.

Publicado em

Vivendo a (17) anos na cidade de São Paulo, em 2003 começõu vendendo comida boliviana na "Feira Kantuta", em (14) de setembro de 2004 com amigos começam a festa “cochabambina” na Feira Kantuta, em 2004 fundou no carnaval a comparsa “Cochabamba Maillapipis", em 2005 organizou a tradicional "Wallunka", expressões culturais da cidade boliviana de Cochabamba terra natal de Sabina.

"o trabalho tem que ser feito com amor..." são as palavras da ativista cultural boliviana Sabina Veizaga.

A entrevista foi realizada no domingo (18) de agosto de 2019 na residência de Sabina no bairro de Pari em São Paulo.

Deixe um comentário