Quais são os candidatos em São Paulo que assumiram compromisso de manter políticas para imigrantes

Como ficam as políticas sociais implementadas em relação à população imigrante em São Paulo nos últimos anos, a partir da próxima gestão municipal? Quais são os candidatos a prefeito e vereador que se comprometem a atuar em prol dessas ações?

Publicado em
Quais são os candidatos em São Paulo que assumiram compromisso de manter políticas para imigrantes

Rodrigo Borges Delfim - MigraMundo
19 de outubro de 2020

Como ficam as políticas sociais implementadas em relação à população imigrante em São Paulo nos últimos anos, a partir da próxima gestão municipal? Quais são os candidatos a prefeito e vereador que se comprometem a atuar em prol dessas ações?


Delegados imigrantes votam durante plenária final da 2ª Conferência Municipal de Políticas para Imigrantes, em São Paulo. (Foto: Rodrigo Borges Delfim - nov.2019/MigraMundo)


Em resposta a uma carta escrita por 39 coletivos e instituições da sociedade civil em São Paulo que lidam com a temática das migrações, 43 candidaturas a vereador e 5 candidaturas à Prefeitura já oficializaram compromisso com a garantia de direitos da população imigrante na cidade.

Na capital paulista são 13 candidaturas registradas para prefeito e 2.001 para vereador, segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O Legislativo municipal conta com 55 cadeiras em disputa.

Na carta, as instituições listaram 13 pontos nos quais esperam comprometimento dos candidatos (leia a íntegra do documento ao final do texto). Entre outras questões, pedem o cumprimento do 1º Plano Municipal de Políticas para Imigrantes, anunciado em agosto passado, e o rechaço a manifestações de ódio de qualquer natureza.

Veja abaixo, por ordem alfabética, quem são os candidatos que já assumiram compromisso com as demandas descritas na carta, de acordo com o cargo que disputam. Novas adesões ou mais informações sobre a mobilização podem ser comunicadas por meio do e-mail [email protected] A lista será atualizada até o primeiro turno da eleição municipal, marcado para 15 de novembro.

CANDIDATOS A PREFEITO E VICE
Bruno Covas (PSDB) e Ricardo Nunes (MDB)
Guilherme Boulos (PSOL) e Luiza Erundina (PSOL)
Márcio França (PSB) e Antonio Neto (PDT)
Marina Helou (Rede) e Marco Dipreto (Rede)
Vera Lucia (PSTU) e Professor Lucas (PSTU)

CANDIDATOS A VEREADOR
Ailton Amaral (PSOL)
André Barbosa (PSDB)
André Stark (Rede)
Ane Sollar (PSB)
Banca Sustentável (PV)
Bancada Feminista (PSOL)
Carlos Bezerra Jr. (PSDB)
Chuks Iloegbunam (PSDB)
Daniel Annenberg (PSDB)
Debora Moral (Podemos)
Ecoletivo (PSOL)
Edson Queiroz (PSDB)
Eliana Cezário (PSTU)
Euri Ferreira (PV)
Flávia Bellaguarda (Rede)
Gabriella Bueno (PSDB)
Inti Queiroz (PSOL)
Izamar (PT)
Jorge Breogan (PSTU)
Julia Eid (PSTU)
Keit Lima (PSOL)
Lauro Fiaes (PSTU)
Mandato Progressista (PDT)
Marco Vegano (MDB)
Mario Covas Neto (Podemos)
Norlay Costa (PSOL)
Prof. Oberto (PSB)
Professor Elias Mascena (PSOL)
Professora Flavia (PSTU)
Patricia Zanella (Rede)
Priscila Anupan (PSOL)
Prof Barretão (Rede)
Prof Jorge (PT)
Rafael Negrão (PSOL)
Raimundo Lemos (PT)
Ricardo de Lima (PSOL)
Roberto Carlos (PSOL)
Rogério Gueiros (PROS)
Rute Alonso (PSOL)
Shirley Silvério (PSTU)
Toni Zagato (PSOL)
Toninho Vespoli (PSOL)
Valdo Tasinaffo (Cidadania)

*Nomes estão descritos conforme aparecem na urna, de acordo com o portal do TSE

POLÍTICA PÚBLICA EM PAUTA
De acordo com a gestão municipal, cerca de 360 mil imigrantes residem atualmente em São Paulo, contemplando um total de 197 nacionalidades. A maior comunidade é a boliviana (estimada em pelo menos 70 mil pessoas), seguida por portugueses, chineses, japoneses, italianos, haitianos, espanhóis, sul-coreanos, argentinos e peruanos.

Tal presença há décadas mobiliza o debate e a implementação de políticas que garantam direitos à população imigrante em São Paulo.

Desde o final de 2016 a cidade de São Paulo conta com uma Política Municipal voltada à população imigrante. Ela consolidou uma série medidas implementadas no município desde 2013 em relação a imigrantes, como o CRAI (Centro de Referência e Atendimento a Imigrantes) e a criação do CMI (Conselho Municipal de Imigrantes).

Já o plano anunciado em agosto visa aprofundar e assegurar a aplicação dessa política. Ele prevê 80 metas a serem cumpridas até 2024 — ou seja, justamente pela próxima gestão municipal. Tais metas partiram das demandas apresentadas na 2ª Conferência Municipal de Políticas para Imigrantes, ocorrida em novembro de 2019.

fonte: migramundo.com


*Venha ser parte do esforço para manter o trabalho do MigraMundo! Veja nossa campanha de financiamento recorrente e junte-se a nós: https://bit.ly/2MoZrhB

*Gostaria de receber notícias do MigraMundo diretamente em seu WhatsApp? Basta acessar este link e entrar em nosso grupo de distribuição de conteúdos.

Publicidade
Publicidade

Deixe um comentário