Para Levy Fidelix a migração é a fortaleça agregadora de economia e cultura ao Brasil

O político brasileiro faleceu por complicações da Covid-19. Popular pela proposta modernista de implementar o aerotrem em SP. Fidelix veia com bons olhos a força construtiva dos imigrantes latinos em território brasileiro, defendendo a ideia de implementar o ensino do espanhol nas escolas da rede pública.

Publicado em

José Levy Fidelix da Cruz, morreu, na noite dessa sexta-feira (23), aos 69 anos de idade (conhecido apenas como Levy Fidelix). Internado desde março em um hospital particular de São Paulo, morreu por complicações da Covid-19.

OS IMIGRANTES E SUAS FAMÍLIAS SÃO BEM VINDOS NO BRASIL

Levy acredita que o Brasil secularmente foi construído por imigrantes de todas partes do mundo, “nos não queremos tratar dos imigrantes como os EEUU tratam aos mexicanos. O brasileiro é um povo endêmico, acreditamos que os países sul-americanos somos um povo só e irmãos, nossos povos chegaram de Portugal e da Espanha para este continente, somos muito parecidos” finalizou o politico.

ENSINAR ESPANHOL AOS BRASILEIROS

O candidato deseja implementar a obrigatoriedade do ensino do idioma espanhol na rede pública de educação.
“Quero que os taxistas em SP saibam no mínimo falar espanhol e inglês”.
Fidelix conta que não tem problema em se comunicar em qualquer país da América latina, graças ao seu conhecimento do espanhol.

COMBATER O TRABALHO ESCRAVO

“Não podemos permitir a exploração do trabalho análogo a escravidão. Devemos valorizar a moradia e saúde das famílias imigrantes, fiscalizando sem atrapalhar e destruir as pequenas empresas e separa as famílias… a exemplo dos americanos que deportam os imigrantes sem coerência humana. Os imigrantes não tiram emprego aos brasileiros, pelo contrário eles cobrem uma lacuna na economia brasileira com mão de hobra qualificada e barata, isso não deve ser interpretado que sejam oferta no trabalho escravo” finalizou enfaticamente Levy.

“Os latinos são a maior comunidade imigrante do Brasil, bolivianos, peruanos, equatorianos, paraguaios, saibam que são bem vindos..., eles gostam do que nós gostamos, como um bom vinho seja chileno ou argentino, ou como os bolivianos que trazem belas tradições que são bem vindas no Brasil”, finalizou Levy Fidelix.

A entrevista exclusiva foi concedida aos portais de notícias (Bolívia Cultural & Plneta América Latina) durante as eleiões municipais - São Paulo 2012.

CAMI - Live América Indígena: Identidades e Resistências

Publicidade

Deixe um comentário