Criança espanhola crece sem esquecer a sua babá boliviana

Juan Jonsson viajou desde Fuengirola/Espanha até Yacuiba/Bolívia para encontrar sua babá após 45 anos

Publicado em

História emocionante: Juan procurou pelo mundo pela sua babá e a encontrou 45 anos depois.

Juan Jonsson tinha seis meses quando sua família se mudou da Suécia para a Bolívia para trabalhar. Em Cochabamba, Ana cuidou dele por seis anos. Mais tarde mudaram-se para Espanha mas nunca se esqueceu da mulher que acompanhou os seus primeiros anos.

Criança espanhola crece sem esquecer a sua babá boliviana
Juan pastor de uma igreja na Espanha, viajou para a Bolívia para procurar a mulher que cuidou dele quando era pequeno. Depois de 45 anos, o sueco deu início à campanha "Procurando Ana" para retribuir todo o amor que ela lhe dera. Ele finalmente a encontrou.

Ana Jiménez cuidou de "Juanito" em Cochabamba, Bolívia, quando ele era pequeno quando seus pais se mudaram para aquele país por motivos de trabalho, onde moraram por seis anos até retornarem para a Espanha e não se viram até agora. No entanto, Jonsson nunca se esqueceu de Ana e há alguns meses teve a ideia de abrir uma página, com o título "A Help for Ana", na qual pretendia recolher donativos dos utilizadores. Desta forma, Juan viajou de Fuengirola, na Espanha, para Yacuiba, onde a mulher mora com o filho, que foi fundamental para o reencontro O momento foi registrado em um vídeo do TikTok que viralizou.


Juan bateu na porta da casa de Ana e ela abriu para ele. "Ela sabia que alguém iria visitá-la, mas não sabia quem", disse o pastor em entrevista. A mulher não entendeu quem ele era até que ele lhe disse quem era e lhe mostrou suas fotos de bebê. Ana imediatamente o abraçou e chorou de emoção. "Quando o vi novamente, não o reconheci, mas no meu coração eu o tinha. Quando ele era criança, fiquei triste por ter perdido meus filhos, então ele e sua família vieram como um presente de Deus", disse a mulher de 78 anos.

Jiménez relembrou algumas das anedotas e travessuras de Juan. "Eu o chamava de 'meu cholo sueco' e ele me chamava de 'minha vovó'", disse ele. Por fim, o pastor indicou que quer “honrar” Ana e busca continuar ajudando-a a recompensar o que ela fez com ele. "Sou privilegiado", assegurou o homem.

fonte: Aquí En Vivo
lagaceta.com.ar

VEJA TAMBÉM
Consulado boliviano atende neste sábado 12 de março de 2022
Mulher policial (GCM) pede para as imigrantes denunciar a violência contra elas
Consulado boliviano atende neste sábado 12 de março de 2022

Publicidade

Deixe um comentário