Candidato presidencial Oscar Ortiz, promete mudanças no serviço consular boliviano em São Paulo.

Candidato presidencial nas Eleições Gerais - Bolívia 2019, pela chapa “Alianza Bolivia Dice No”, manteve encontro com um grupo de 50 imigrantes bolivianos na quinta-feira 11 de julho, nas instalações da Câmara Municipal de São Paulo.

Publicado em

Durante a palestra o senador Oscar Miguel Ortiz Antelo destacou os seguintes pontos.

PROPOSTAS PARA OS IMIGRANTES BOLIVIANOS EM BRASIL

O candidato Ortiz, entende que;

- Deveriam ser reduzidos os valores de custo dos documentos realizados no Consulado Boliviano, que são mais caros se comparados a documentação semelhante em consulados de países vizinhos.

- Destinar parte do dinheiro arrecadado pelos serviços consulares, para serviços sociais dos imigrantes bolivianos, a exemplo da repatriação de corpos de falecidos bolivianos de baixa renda.

- Estender o atendimento do consulado boliviano de segunda a sábado, já que os imigrantes bolivianos trabalham durante a semana.

- Criar projetos de incentivo a repatriação de profissionais bolivianos, com oportunidades de trabalho, desta forma a Bolívia reconquistaria profissionais com experiencia de valor incalculável para o crescimento da Bolívia.

Álbum de fotos

ORTIZ, APROFUNDOU  NA TEMÁTICA DA POLÍTICA ATUAL DA BOLÍVIA

- Governo de Evo Morales não aceita o voto popular do povo boliviano.

Entre as principais questões Ortiz foi enfático afirmando que o governo boliviano presidido por Evo Morales no governo a mais de (13) anos, tem ignorado a eleição do povo boliviano, fato confirmado no referendo realizado em 2016 quando o NÃO ganhou pelo 51% de votos, em quanto o SI teve algo menos que o 49% dos votos restantes, recusando o projeto constitucional que permitiria a reeleição do presidente e vice-presidente ser reeleitos por duas vesses de maneira continua.

- Ortiz identificou-se como principal denunciante de irregularidades na Bolívia

Lamentavelmente minhas denúncias não tem sido contempladas por que o governo boliviano tem controle de todas as instancias administrativas do governo, impossibilitando a investigação completa de qualquer denúncia. Algo diferente ao que acontece no governo brasileiro que tem uma PF independente, com autonomia de investigação de irregularidades a exemplo da investigação do caso “LAVA JATO”.

- A imprensa também tem sido sufocada na Bolívia comentou Ortiz, jornalistas são demitidos pelas suas próprias emissoras, quando escrevem matérias não favoráveis ao governo boliviano..., reduzindo assim a diversidade de informações para a opinião pública boliviana.

 

ORGANIZAÇÃO "BULD" PROMETE A CHEGADA DE MAIS CANDIDATOS EM SP

O evento foi organizado pelo coletivo de imigrantes bolivianos denominado BULD, o coletivo pretende convidar os principais candidatos para as Eleições Gerais - Bolívia 2019.

 

PÚBLICO REDUZIDO DE BOLIVIANOS

O público boliviano assistente chegou a (50), público reduzido justificado pela pouca divulgação do evento, fator que será corregido nos próximos eventos, segundo Maria Teresa Cabrera Castillo, integrante da comissão organizadora do BULD - "Bolivia Unida Libre y Democratica".

Sabemos que a liberdade de expressão e um elemento crítico para a democracia, o desenvolvimento e o diálogo – sem ela nenhuma destas palavras poderia funcionar o prosperar. A liberdade de expressão e um direito universal que todo o mundo deve gozar. Todos têm o direito à liberdade de opinião e de expressão; este inclui o direito a manter uma opinião sem interferências e procurar, receber e difundir informação e ideais a través de qualquer meio de difusão sem limitação de fronteiras, tal como estabelecido na Declaração Universal dos Direitos Humanos.  
Veja também
Imigrantes em SP acompanham conjuntura política prévia - Eleições Gerais Bolívia 2019
Nos últimos anos São Paulo tem sido palco de manifestações da atual conjuntura política boliviana. Cidadãos puderam expressar seu apoio ou reprovação ao governo de turno na Bolívia, uma mostra da liberdade de expressão que a cidade de São Paulo tem oferecido aos imigrantes de todas as nacionalidades.

Deixe um comentário