A dança da MORENADA 100% boliviana - história

Acredita-se que a dança da Morenada poderia ter sido encenada na região lacustre do altiplano de La Paz no final do século XVIII.

Publicado em

Por: Randy Chávez García

Diz-se que foram os aimarás que reinventaram esta dança para imitá-la sob a máscara de um "afro-boliviano" que simulava o "escravo negro" da colônia.

Provavelmente, a dança Moreno foi apresentada nas festividades que acontecem no calendário patronal católico. O povo aimará homenageou a dança moreno aos santos católicos e à Virgem Maria, como devoção e como forma de agradecimento ou para pedir um favor ao padroeiro ou à matrona. Da mesma forma, ao longo dos anos, o setor mestiço também se juntou para pagar a dança Moreno aos seus patrões como um sinal de sua fé.

A MORENADA 100% boliviana - história

A MORENADA 100% boliviana - história

Muitos autores apontam que a Morenada é uma dança representativa da La Paz de recreio aimará, adotada pelos sindicatos do setor mestiço de La Paz (cholo), que era encenada nas festas da padroeira dos bairros de La Paz, bem como em os templos das cidades. A fonte mais antiga é a história do médico francês Wendell, que esteve em La Paz em 1851:

… Os alfaiates artesãos, que quase todos pertencem à classe dos mestiços ou cholos, vestem-se com elegância aristocrática (…), e andam o dia todo com máscaras negras. Nessa forma, eles são chamados de morenos. Alguns carregam enormes "matracas"(aparelhos acusticos que ao girar produz um barulho resonante), outros portavam rifles e pistolas, mas a maioria não possui outras armas além de instrumentos musicais comuns. Certa vez, vi - era o Dia da Assunção - uma trupe desses belos alfaiates no pátio do Palácio, onde fizeram uma serenata para o presidente (Wendell 1853: 176).

A MORENADA 100% boliviana - história

A MORENADA 100% boliviana - história

Em 1974, o então presidente Gral. Hugo Banzer Suárez, acompanhado de seus guarda-costas e junto com os integrantes da Associação dos Conjuntos Folclóricos “Del Gran Poder”, inaugurou a “Entrada” que terminava na Avenida Buenos Aires. Em 1975, La Morenada contava com muitos adeptos entre a oligarquia de La Paz, pois foi quando pela primeira vez a Entrada “Del Gran Poder” tomou a cidade de La Paz, desta vez seu percurso chegou a El Prado da cidade de La Paz, onde antes as danças dos chamados "índios" e "cholos" eram proibidos. A partir desse momento, a Morenada apossou a ser aceito em outros setores sociais que começaram a sentir a magia da dança e das festividades dos setores populares aimarás urbanos e mestiços.

A MORENADA 100% boliviana - história

A MORENADA 100% boliviana - história

Alguns autores apontam que, com base em algumas pinturas rupestres em Chirapaca, acredita-se em uma possível origem pré-hispânica, após terem identificado elementos como "matracas" e bordados em formato de peixe. Outros declaram Taraco como o berço da Morenada; Da mesma forma, também há quem indique que se trata de 100% "paceña"proprio da ciadde de La Paz - de origem mestizo-urbana (Mendoza, 2007). La Morenada foi incluída nos conjuntos folclóricos que compõem “O Carnaval de Oruro”, declarada “Obra-prima do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade”. Da mesma forma, a Morenada também foi incluída nas danças que compõem a festa da “Santíssima Trindade do Senhor Jesus do Grande Poder”, declarada “Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade”.

A MORENADA 100% boliviana - história

A MORENADA 100% boliviana - históriaFotos: Arquivo Cordero.

CAMI - Live América Indígena: Identidades e Resistências

Publicidade
APARAPITA ou K’EPIRI 12590

APARAPITA ou K’EPIRI

Historicamente na cidade de La Paz, como em muitos mercados (feiras a céu aberto) na Bolívia, existem pessoas conhecidas como aparapita ou k'epiri, que se encarregam de carregas...

Deixe um comentário