A boliviana Veronica Quispe no Diálogos Migracidades - ACESSO À SAÚDE

A participação de Veronica Quispe Yujra, aconteceu na terça-feira 31 de agosto, a conversa girou em torno dos dados da rodada de diagnostico MigraCidades 2020 - ACESSO À SAÚDE.

Publicado em

Veronica Quispe Yujra:
Mestre e Doutora em Patologia pela UNIFESP.
Autora do livro "Saíde de Migrantes e Refugiados"

AO VIVO 31 DE AGOSTO ÀS 17:30h.

ASSISTA PELO - YOUTUBE

Conheça mais sobre este projeto que é fruto de parceria entre a Organização Internacional para as Migrações (OIM), a agência da ONU para as migrações, e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com apoio da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), e apoio financeiro do Fundo da OIM para o Desenvolvimento.

MIGRA CIDADES

O “MigraCidades: Aprimorando a Governança Migratória Local no Brasil” é uma plataforma que tem como objetivo contribuir para a construção e gestão de políticas migratórias de forma qualificada e planejada, ao encontro da Meta 10.7 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, que prevê uma migração ordenada, segura, regular e responsável.   

Para isso, busca capacitar atores locais, impulsionar o diálogo migratório, certificar o engajamento dos governos em aprimorar a governança migratória e dar visibilidade às boas práticas identificadas nos estados e municípios brasileiros ao longo do processo de certificação.   

O MigraCidades é fruto de parceria entre a Organização Internacional para as Migrações (OIM), a agência da ONU para as migrações, e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com apoio da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), e  apoio financeiro do Fundo da OIM para o Desenvolvimento.  

A plataforma MigraCidades inclui um website, treinamentos e um processo de certificação que partem da experiência global da OIM com os MGI (Migration Governance Indicators, na sigla em inglês), e do conhecimento único que a UFRGS e a ENAP têm da realidade local brasileira para disseminar informação e aconselhar os governos. Para isso, os MGI foram adaptados ao contexto brasileiro em indicadores de governança migratória  e reunidos na forma de 10 dimensões, que orientam o trabalho realizado na Plataforma.

fonte: ufrgs.br

CAMI - Live América Indígena: Identidades e Resistências

Publicidade

Deixe um comentário