A boliviana Diana Soliz um exemplo de luta pelos seus direitos

24 anos de história na cidade de São Paulo, dedicados à conquista de direitos, sindicalismo, luta pela regularização de indocumentados e combate à violência contra as mulheres. Um exemplo a ser imitado.

Publicado em

Nascida na cidade de Camiri, no departamento de Santa Cruz, foi criada na cidade de Chuqisaca. Vive a 24 anos na cidade de São Paulo época em que Daiana conheceu seus direitos quando descobriu que outra boliviana a estava explorando, momento em que conheceu o sindicado das empregadas domésticas em que começou a participar constantemente das suas reuniões, aprendendo dia a dia mais sobre seus direitos “eu aprendia muita coisa e ainda continuo aprendendo, todo dia é um aprendizado...” concluiu Daiana.

No Sindicato das Empregadas Domesticas a boliviana chegou a ocupar o cargo de representante das empregadas imigrantes a nível nacional no Brasil.
 
Na atualidade a Sra. Daina faz parte de PAL - Presença da América Latina, instituição em que consegue ampliar seu trabalho na luta a favor da regularização dos imigrantes indocumentados com a campanha #RegularizaçãoJá - Regularização imediata, permanente e incondicional para imigrantes no Brasil. O combate a violência contra mulheres também faz parte da pauta de trabalho da imigrante boliviana.

Daiana deseja ser uma referência um espelho para aquelas mulheres que acreditam que não existe solução, “desejo ver outras mulheres sindicalizadas chegar lá encima, que lutem pelos imigrantes, contra a violência trabalhista, psicológica, sexual entre outros”. 


 
A entrevista com a Sra. Daina Soliz Sória Garcia, aconteceu na tarde de 27 de maio, durante a transmissão em vivo pelo Dia da Madre Boliviana no Centro Integrado do Imigrante no Brás, organizado pelo coletivo Voluntários por Amor.

 

Publicidade
Publicidade

Deixe um comentário