Crianças morreram abraçadas em incêndio na cidade de São Paulo

Segundo informações preliminares o incêndio foi motivado pela brincadeira de uma das crianças que espalhou o fogo acidentalmente pela casa, ao espalhar o fogo os menores em lugar de procurar a saída foram para dentro de casa sendo consumidas pelo fogo, os corpos das pequenas vítimas foram encontrada demonstrando que elas morreram abraçadas.

Publicado em

A boliviana VIRGEM MARIA mãe das crianças fazia um chá́, sendo que em um determinado momento um de seus filhos, começou a brincar com fogo, a seguir os mesmos foram vistos correndo para dentro da casa, contudo, quase que imediatamente, pode verificar que realmente o fogo se alastrou com grande velocidade, sendo incapaz de socorrer seus filhos. Durante o acontecimento o esposo de VIRGEM MARIA, havia saído da casa, para comprar pão.

A família de bolivianos morava na residência a menos de um ano. Segundo informação de vizinhos a casa era dividida em duas partes, uma funcionava uma pequena oficina de costura e na outra parte era a moradia da família.

Crianças morreram abraçadas em incêndio na cidade de São Paulo
Irmãos; Juan Apaza Capcha (5) e Estile Apaza Capcha (3), ambos brasileiros.

AS 3 CRIANÇAS MORRERAM ABRAÇADAS

Vítima: Juan Apaza Capcha de 5 anos de idade (brasileiro) 
Vítima: Estile Apaza Capcha de 3 anos de idade (brasileiro) 
Pais: David Marcos Apaza Cruz e Virgem Maria Capcha Mamani (bolivianos).

Vítima: Juan Nahuel Apaza Limachi de 3 anos de idade (argentino) 
Pais: Juan Richard Apaza Cruz e Fidelia Limachi Condori (bolivianos).

Segundo a Dra. Patrícia Veja, os familiares das crianças abriram mão do acolhimento oferecido pelas autoridades já que ambas famílias foram acolhidos prontamente por familiares próximos. Vega também informou que o Eng. Rolando Bulacios, cônsul-geral da Bolívia em São Paulo, ofereceu imediatamente toda cooperação que seja necessária para acudir as famílias e vítimas.

A tragédia aconteceu na sexta-feira (2) de julho, por volta das 16:00h na R. Euchario Rebouças de Carvalho no bairro da Vila Guilherme zona norte de São Paulo. O caso encontra-se na 9º D.P. - CARANDIRU.

Campanhas apoiam famílias da trágedia

A Dra. Patrícia Vega, advogada das famílias que perderam as crianças em tão trágico acontecimento, convoca a população imigrante o apoio as famílias das crianças que morreram no incêndio por meio das campanhas promovidas por: 

CENTRO DO IMIGRANTE
WhastApp: (11) 98717-9107

RÁDIO AMBANA BRASIL
WhastApp: (11) 96475-6203

GASTON COMUNICADOR
WhastApp: (11) 95710-9626

CAMI - Live América Indígena: Identidades e Resistências

Publicidade
Regularização já! 5560

Regularização já!

O mundo tem sofrido muitos cambios pela pandemia, neste ambiente imigrantes tem sofrido em muitos países do mundo perda de direitos, não permitamos que isso aconteça no Brasil....

Deixe um comentário