23 de março Dia Do Mar Boliviano

Por: Da Redação
Share |


 

 

 

O mar, fonte de alimento e lar de uma incrível biodiversidade, que recobre cerca de 71% do planeta... Tem seu dia no calendário mundial, sendo marcada duas vezes no calendário boliviano. O dia 23 de março é uma destas datas; o Dia Do Mar!

 

De acordo com o atual mapa, o país não tem saída para o oceano, mas no passado a área marítima boliviana se compunha de 120 mil quilômetros quadrados, em média, ao longo da Costa do Pacifico.

A perda da saída para o mar, a constante discussão de vir a tê-la novamente marcam este dia na Bolívia. A data vem da Guerra do Pacífico, conflito ocorrido de 1879 a 1883, entre o Chile e às forças conjuntas da Bolívia e do Peru.

Cujo final foi o Chile anexar ricas áreas em recursos naturais de ambos os países derrotados. O Peru perdeu a província de Tarapacá e a Bolívia teve de ceder à província de Antofagasta, ficando sem saída soberana para o mar, o que se tornou uma área de fricção na América do Sul, chegando até os dias atuais, e que é para a Bolívia uma questão nacional (a recuperação do acesso ao oceano Pacífico consta como um objetivo nacional boliviano em sua atual constituição).

 

 

A Guerra do Pacifico e o "dia del mar"


O conflito começou como uma disputa de fronteira territorial após a queda do colonialismo espanhol, no processo de tornarem-se nações independentes; que depois de 1832 se tornou uma série de interesses políticos, militares e econômicos que resultaram em um confronto.

O que iniciou o conflito foi a intenção da Bolívia de cobrar um imposto de 10 por cento de 100 quilos de nitrato de potássio (salitre), colhidas por empresas chilenas no deserto de Atacama. O governo chileno não aceitou esta decisão e ordenou que suas tropas invadissem a região boliviana de Antofagasta e Calama, onde a Bolívia não tinha qualquer presença militar e a maioria da população era de origem chilena.

É por causa da batalha de Calama, que hoje se comemora o Dia do mar. Pois, com pouco menos de uma centena de soldados, os comandante Eduardo Abaroa (da Bolívia) e Ladislao Cabrera (Peru) enfrentou mais de 500 soldados chilenos.

Abaroa estava obstinado na defesa de uma pequena ponte sobre o rio Topáter, quando em 23 março de 1879 os chilenos ordenaram sua rendição, ao que ele respondeu  "Eu, me entregar? Diga a sua avó que se renda!" Ao ele foi prontamente morto a tiros.

Chile derrotou as tropas bolivianas e peruanas, ganhando a batalha. Seu exército era melhor equipados e derrotou a Bolívia definitivamente no Alto de la Alianza Batalha em 26 de maio de 1880. A Bolívia se retirou da guerra, que em última análise, durou até 1883. Durante esse tempo, o Chile também derrotou o Peru.

Em 1904 um acordo de três vias foi assinado. De acordo com o tratado, a Bolívia cedeu seus territórios costeiros para o Chile. Este tratado permanece válido ainda hoje, embora mais de 120 anos depois, a Bolívia continua a insistir na sua revisão e Chile continua a resistir a fazê-lo.

Hoje esta data é celebrada com atos solenes em todo o país. Uma oferenda floral é feita a estátua do herói da Topáter (Eduardo Abaroa Plaza) em La Paz. Depois é a vez dos desfiles pelas crianças, escolas e militares. Todas as cidades importantes em Bolívia tem uma praça o nome de Eduardo Abaroa, portanto, atos solenes semelhantes são realizados a nível nacional.

Além disso, o território perdido da Bolívia também é comemorado durante concursos de beleza nacional, existindo a competição para Miss Litoral.

 

 


 

 

Carlos Mesa defende com muita garra causa marítima no Chile

 

 

 


O porta-voz internacional para a reivindicação marítima da Bolívia, Carlos Mesa, sentou-se na noite passada no set do programa "El Informante" da Televisão Nacional do Chile, onde foram expostos os argumentos bolivianos contra um público doído pela recente decisão do Tribunal Internacional de Justiça (CIJ) em Haya, que declarou sua competência para julgar a demanda boliviana.
(leia mais)

 

 

 



Fonte:

Bolívia Cultural


Share |


1 - 3 de 3 comentarios

Postado em 03/12/2015
los bolivianos fueron cobardes y dejaron solos a los peruanos en la guerra. Por eso es que los chilenos traidores vendidos a los ingleses fueron que ganaron territorio peruano y la salida al mar de... Veja mais
Joao
Postado em 04/05/2015
A perda de territórios é o que poderia acontecer numa guerra, principalmente nas guerras anteriores à segunda guerra mundial. Não ha nada de "anormal" nisso. Reclamar e adjetivar como injustas as perdas do século XIX é uma atitude pouco consistente com a realidade do século... Veja mais
fernando
Postado em 22/03/2013
dia de... Veja mais

Add Comentário
Nome
Email
Menssagem
 


Resolução Mínima de 800x600 Copyright © 2009 - 2016, BOLÍVIA CULTURAL 2016
Um produto de Planeta América Latina - Produzido por MidiaMix Ltda e Setap Comunicação.