hollister online hollister wien abercrombie and fitch wien abercrombie wien adidas superstar adidas superstar damen belstaff lederjacke belstaff sale belstaff outlet salzburg woolrich parka woolrich arctic parka woolrich sale peuterey jacken peuterey sale peuterey jacken herren
Aconteceu em SP a 12º Marcha dos Imigrantes e Refugiados - Bolívia Cultural

Bolívia Cultural - Eventos, Promoções e Novidades!

Confira os eventos, promoções e novidades em sua cidade. Aqui, no Bolívia Cultural!

Aconteceu em SP a 12º Marcha dos Imigrantes e Refugiados

Aconteceu em SP a 12º Marcha dos Imigrantes e Refugiados

Mulheres acompanhadas de crianças, tem participação expressiva na 12º edição da Marcha dos Imigrantes e Refugiados - 2018.

 

Mulheres e crianças deram a tônica de um futuro esperançoso nas lutas sociais e reivindicações dos imigrantes no Brasil.

Mulheres imigrantes, coloriram a Paulista vestindo roupas típicas dos seus países.

 


Palavras de ordem

Entre as palavras de ordem dos manifestantes, podemos destacar:

- Visibilidade e garantia de direitos para todas as pessoas imigrantes do mundo;
- Pelo fim do trabalho escravo;
- Por uma regulamentação da lei de migração humana e democrática;
- Pelo fim das deportações;
- Pelo direito de votar e ser votado;
- Pela anistia aos imigrantes;
- Pelo fim da discriminação e xenofobia;
- Pela ratificação dos tratados internacionais;
- Pelo livre trânsito e resistência para todos e todas;
- Pelo direito à educação, saúde, assistência social moradia de qualidade;
- Pela implementação de políticas públicas para todas as pessoas imigrantes e refugiadas;
- Pelo fim da exploração dos imigrantes e refugiados;
- Por cidadania universal;
- Segurança e dignidade no trabalho;
- Preservar a liberdade de gênero;
- Preservar o direito a educação e paz nas escolas;
- Maior agilidade e eficiência na emissão de documentação de imigrantes e refugiados, entre outros.

 

A transformista boliviana (Florência) puxou a ala LGBT da marcha

Brasileiros aplaudem a marcha

Foi expressivo o apoio dos paulistanos, que pararam para ler os cartazes e bater palmas para os imigrantes. Grupo de brasileiros que aguardava concentrado em frente ao Masp recebeu a marcha batendo palmas, uma mostra do carinho dos paulistanos com os imigrantes.
 



Nossa equipe não presenciou gritos xenófobos ou racistas, nem comentários contra os governos da Bolívia, Venezuela, e Cuba… (na marcha de 2017 foram constantes os comentários mencionando que os imigrantes destes países poderiam estar trazendo o comunismo para o Brasil), neste ano o carinho dos brasileiros foi expressado mediante palmas e gritos de carinho … "sejam bem vindos… !!! " foi a frase, que marcou nos ouvidos dos imigrantes.

 

Álbum da marcha dos imigrantes e refugiados 2018

 

 

Av. Paulista, um espaço apropriado?

Nesta edição coincidiram na Paulista pelo menos (6) outras expressões de protesto, desporte, e cultura, atrapalhando o bom decorrer da marcha, tendo em distintos momentos que desviar de outras manifestações públicas, obrigando aos imigrantes marchar na área exclusiva dos ciclistas, ou até criar conflito com outros movimentos sociais, a exemplo daqueles cidadãos protestando contra a legalização do aborto, momento em que enfrentou verbalmente parte dos imigrantes que eram a favor do aborto, a situação não passou a maiores graças a presença da polícia e bom senso de ambos grupos.

Barulho, pouco espaço, transito de pedestres, bicicletas, patins, skates, animais de estimação… etc, etc, não ajudaram a entender as palavras de ordem, e falas dos manifestantes no microfone, "… de que trata esta marcha?... eram questões de alguns paulistanos que abordaram a equipe do Planeta América Latina na cobertura da marcha.


Público sente falta de danças do folclore boliviano

A falta dos grupos folclóricos de dança da Bolívia foi sentida, já que a presença do rico folclore boliviano ilustra a diversidade cultural trazida pelos imigrantes para o Brasil.


Organização

A marcha foi organizada por uma comissão composta por coletivos e instituições da sociedade civil de brasileiros, imigrantes e refugiados, com gestão do CAMI - Centro de Apoio e Pastoral do Migrante.

A Marcha dos Imigrantes e Refugiados começa em 2007, e a três anos ocupa a Avenida Paulista em São Paulo - SP - Brasil.


Álbum da marcha dos imigrantes e refugiados 2018